Boas Festas!

O Museu Dr. Joaquim Manso deseja BOAS FESTAS e um FELIZ ANO NOVO!

Agradecemos a todos aqueles que, ao longo de 2009, nos visitaram, participaram nas nossas iniciativas ou que, mesmo à distância, nos foram acompanhando e, assim, divulgando o património e a cultura do mar.
Em 2010, continuamos a contar convosco!

As suas prendas de Natal no Museu Dr. Joaquim Manso

À semelhança dos anos anteriores, o Instituto dos Museus e da Conservação promove mais uma campanha “Natal do Livro”, entre 17 de Novembro e 31 de Dezembro.

Na Nazaré, no Museu Dr. Joaquim Manso, venha aproveitar esta oportunidade de Natal!

Ler mais em Loja.

Resumos do colóquio Novas Tecnologias para o Património

No dia 28 de Novembro, realizou-se o colóquio Novas Tecnologias para o Património, numa organização conjunta do Museu Dr. Joaquim Manso e da Rota de Arquitectura – Korrodi, com o apoio da Câmara Municipal da Nazaré e do Centro de Competências Entre Mar e Serra.


Partilhamos convosco os resumos das comunicações e principais conclusões do dia de trabalho, dedicado ao debate em torno das novas tecnologias para “comunicar o património” e para “inventariar e conservar memórias”.

Agradecemos a todos os inscritos, que pela sua presença e interesse contribuíram para a concretização deste colóquio.

Resumos das comunicações do colóquio "Novas Tecnologias para o Património".

Colóquio "Novas Tecnologias para o Património"

O Museu Dr. Joaquim Manso e a Rota Korrodi organizam no dia 28 de Novembro o colóquio “Novas Tecnologias para o Património”, na sequência da comemoração do Dia Nacional da Cultura Científica (24 Novembro).
As novas tecnologias de informação surgidas nas últimas décadas, em especial a internet, têm modificado as técnicas de produção e reprodução de textos, a divulgação do património, os suportes de comunicação. Possibilitam a partilha de informações à escala planetária em tempo real, tornando-se a sociedade contemporânea uma sociedade da informação.
Este colóquio propõe uma reflexão sobre o papel dos recursos tecnológicos na conservação, inventário, interpretação e comunicação do património junto de públicos diversificados, no sentido da sua maior acessibilidade e divulgação, tendo por base a apresentação de experiências do contexto nacional e regional, em museus, centros de interpretação, arquivos, bibliotecas e demais instituições culturais.

Local: Auditório da Biblioteca Municipal da Nazaré
Data: 28 de Novembro de 2009

Programa

10h00: Sessão de abertura

Painel I – Comunicar o património
Moderador: Célia Quico, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
10h15: Célia Quico – Introdução ao tema “Novas tecnologias para o património”
10h30: António Rodrigues – As TIC na promoção de interactividade nos espaços museológicos
11h00h: João Mareco – Batalha de Aljubarrota, da Idade Média ao Multimídia
11h30h: Genoveva Oliveira e Marco Neves – Património construído georeferenciado. O exemplo da arquitectura de Korrodi
12h00: Debate

12h30: Almoço livre

Painel II – Inventariar e conservar memórias
Moderador: Pedro Penteado, Serviços de Arquivística e Apoio Técnico da Direcção-Geral de Arquivos (DGARQ)
14h00h: Miguel Silvestre, Rede de Investigação, Inovação e Conhecimento da Câmara Municipal de Óbidos – Património Cultural na Estratégia Óbidos Criativa
14h30h: Jorge Lopes, Biblioteca Municipal da Nazaré – Imagoteca da Nazaré: preservação e divulgação da memória colectiva
15h00h: Sofia Rosa, EGEAC, E.E.M. – Valorização do Património Classificado. Castelo de São Jorge
15h30h: Laura Anastácio, Câmara Municipal da Nazaré – A Geocolecção do Museu da Nazaré
16h00: Debate
16h30: Encerramento

Organização: Museu Dr. Joaquim Manso e Rota Korrodi
Apoio: Câmara Municipal da Nazaré
Participação gratuita. Inscrição prévia até dia 26 de Novembro.


Inscrições e Informações:
Museu Dr. Joaquim Manso
telef. 262 562 802
e-mail:
mdjm@imc-ip.pt

Descarregar o desdobrável do colóquio.

24 de Novembro, Dia Nacional da Cultura Científica

No dia 24 de Novembro, Dia Nacional da Cultura Científica, a Câmara Municipal da Nazaré promove o colóquio "Novas Tecnologias para o Património", dirigido à comunidade escolar. Este evento insere-se na comemoração da Semana da Ciência e da Tecnologia e conta com o apoio do Museu Dr. Joaquim Manso.
No dia 28 de Novembro, no auditório da Biblioteca Municipal da Nazaré, terá lugar outro colóquio organizado pelo Museu Dr. Joaquim Manso e a Rota Korrodi, dirigido ao público adulto em geral.

Programa do dia 24 Novembro:
9:00 Abertura da sessão
9:30 Sistemas do Futuro – Natália Jorge, Sistemas do Futuro
10:00 A Videomonitorização na Praia do Norte – Ana Silva, FCUL
10:30 Debate
10:45 Intervalo
11:00 Oeste Digital: O projecto - Sérgio Bogalho, CIM Oeste
11:30 A Carta do Património da Nazaré – Carlos Fidalgo e Sofia Fernandes, CMN
12:00 Debate
12:30 Encerramento do colóquio
14:30 - Visualização de um conjunto de programas televisivos sobre o Património cultural e natural da Nazaré realizados por Célia Quico

Local: Cine-Teatro da Nazaré

Dizeres da Nazaré

É tudo em archotes [É tud’em archot’s] é o "dizer da Nazaré" divulgado no mês de Novembro. Esta é uma expressão que, simbolicamente, critica o exibicionismo individual. Refere-se a alguém que se gaba de ter muito e, no entanto, não tem nada. Provavelmente equivalente ao “depois de espremido, não sai nada”.


Manuel Coelho da Silva, Sinal à barca, s.d.
MDJM inv. 26 pint.


Esta interpretação talvez esteja relacionada com o fulgor efémero da chama.
Os archotes foram utilizados na pesca tradicional como sistema de iluminação e também foram usados para alumiar, durante a noite, o percurso das procissões, incidindo, sobretudo, nas pautas dos músicos da banda.

Programa do Serviço Educativo 2009 | 2010

O Museu Dr. Joaquim Manso apresenta o programa de actividades 2009-2010 do Serviço Educativo, disponível ao longo do ano lectivo.
O Serviço Educativo do MDJM pretende aproximar o Museu à Comunidade, para melhor cumprir a sua função educativa. As colecções do Museu são diversificadas, desde objectos etnográficos e arqueológicos, interessantes testemunhos da evolução geológica e um considerável acervo artístico e fotográfico. Qualquer área disciplinar pode, aqui, encontrar elementos enriquecedores da aprendizagem em contexto escolar ou académico. Junto da Comunidade Escolar, o Museu apresenta-se pois como mais um potencial recurso educativo.

A calendarização das actividades sugeridas pode ser adequada à disponibilidade de cada grupo, articulando-se com as marcações do Serviço Educativo do MDJM.
Podem também ser calendarizadas outras actividades, em função das exposições temporárias, de comemorações temáticas ou de propostas das próprias escolas.
O Museu disponibiliza-se para preparar a visita com os educadores ou para organizar actividades específicas, propostas pelas escolas ou associações sócio-culturais.

Conheça as actividades na secção do Serviço Educativo.

Esperamos a vossa visita!

Outubro, mês dedicado ao pescador do bacalhau

Durante anos, muitos pescadores da Nazaré partiram na frota bacalhoeira para os Bancos da Terra Nova e da Gronelândia.
As longas campanhas nos navios da pesca do bacalhau marcaram gerações de homens da costa portuguesa e decorriam sobretudo entre Março e Outubro.
Em Outubro, com o regresso dos familiares, a vila da Nazaré ganhava novo ânimo e organizava celebrações em sua homenagem, como touradas, procissões e bailes.

Fique a saber mais sobre esta temática, através do nosso Objecto do Mês de Outubro - o "sueste" -, das sugestões da Biblioteca ou dos "Dizeres da Nazaré".

Últimos dias da exposição “Touradas da Nazaré em Cartaz”

Até dia 27 de Setembro, pode visitar a exposição “Touradas da Nazaré em Cartaz: Um Percurso pelo Arquivo Histórico”, patente no Museu Dr. Joaquim Manso e no Salão do Teatro Chaby Pinheiro.
Inaugurada no dia das Festas de Nossa Senhora da Nazaré, 8 de Setembro, esta exposição tem contado com significativo número de visitantes, muitos naturais da Nazaré ou interessados na tradicional festa taurina, que na povoação remonta pelo menos ao século XVIII, desde o início associada ao culto de Nossa Senhora da Nazaré.
Os usos e costumes foram evoluindo, assim como os meios de divulgação. Inicialmente, para divulgar o cartel, desfilava pelas ruas o Bando, grupo a pé ou a cavalo, com trombetas e tambores, vestindo burlescamente ou uniformizado. A partir do século XIX, sistematizam-se os cartazes em papel que dão conta do programa e dos protagonistas.
O Arquivo Histórico da Confraria de Nossa Senhora da Nazaré possui uma colecção de cartazes que documenta a tradição do toureio na Nazaré. Deste espólio e do Museu Dr. Joaquim Manso saem os exemplares reunidos nesta exposição, o mais antigo datado de Setembro de 1896, que incita “A los toros, à Nazareth!!”, num espectáculo abrilhantado pela presença do ilustre cavaleiro Joaquim Alves (1871-1909) e touros pertencentes a Vitorino Fróis (1862-1934), de Alfeizerão.
Apresenta-se um apontamento através da sociedade portuguesa, em geral, e da festa brava, em particular, desde os tempos da Monarquia, passando pelo Estado Novo, até quase aos nossos dias, ao ritmo dos cartazes disponíveis nestas duas instituições, enriquecidos por empréstimos de objectos de outras instituições e de particulares.

Do conjunto, predominam os programas integrados nas Festas em Honra de Nossa Senhora da Nazaré, em Setembro. Mas, se as touradas continuavam associadas às festividades religiosas, com a divulgação da Nazaré como estância balnear, elas passam também a integrar as animações de Verão. Organizavam-se ainda “grandiosos espectáculos de variedades taurinas”, para abrilhantar os festejos de Carnaval. E porque esta é uma vila piscatória, os espectáculos dos touros serviam também para prestar homenagem aos pescadores.


Até Domingo, no horário de abertura do Museu Dr. Joaquim Manso!
A entrada é gratuita.

Museu assina protocolo com Escola Profissional da Nazaré

No dia 14 de Setembro, o Museu Dr. Joaquim Manso assinou um protocolo de cooperação com a Escola Profissional da Nazaré.

A assinatura inseriu-se na cerimónia de abertura do ano lectivo desta escola, que decorreu no Cine-Teatro da Nazaré, numa sessão que contou com a presença de representantes de várias entidades públicas e privadas, alunos, encarregados de educação e docentes.

A EPN celebrou desta maneira o seu primeiro ano lectivo, apostando em 2009/2010 em cursos nas áreas da Hotelaria, Turismo, Organização de Eventos, Desporto e Informática.

Entre os vários objectivos deste protocolo, destaca-se a futura cooperação do Museu Dr. Joaquim Manso em termos de estágios profissionais / formação em contexto de trabalho, bem como a colaboração em sessões técnicas e momentos de avaliação dos cursos profissionais.


Neste âmbito, o Museu pretende contribuir para uma efectiva melhoria da qualidade do processo formativo dos alunos e participar activamente nas iniciativas educativas do concelho, visando o seu desenvolvimento económico e social.

Museu participou na Recepção aos Docentes

O Museu esteve presente na sessão de boas-vindas ao corpo docente do Agrupamento de Escolas da Nazaré no ano lectivo 2009/10, cujo início está agendado para o dia 14 de Setembro.
Na quinta-feira, dia 10 de Setembro, cerca de 70 docentes iniciaram a manhã no Cine-Teatro, numa sessão que contou com apresentações do presidente da Câmara Municipal da Nazaré, Jorge Barroso, do director do Agrupamento de Escolas Amadeu Gaudêncio, Jorge Sousa, e com comunicações da geóloga Laura Anastácio, da historiadora Ana Hilário e da professora Lurdes Petinga, sobre o património natural e histórico da Nazaré.
De ascensor, todo o grupo se dirigiu para o Sítio, onde foram realizadas visitas ao Suberco, ao Santuário de Nossa Senhora da Nazaré e ao Museu Dr. Joaquim Manso.
No Museu, os professores dos vários níveis de ensino (desde o Pré-Escolar ao 3º ciclo do ensino básico) puderam contactar com alguns objectos marcantes da história local, com início na Pré-História até à Nazaré balnear de início do século XX, focalizando ainda a identidade piscatória da comunidade e a sua expressão através dos vários tipos de artes de pesca, das embarcações e do traje.
A visita foi orientada no sentido de salientar o Museu como um parceiro da missão educativa e formadora da escola, com informação sobre alguns dos recursos pedagógicos e das actividades direccionadas para o público escolar.

O Museu Dr. Joaquim Manso deseja a todos os professores e alunos um Bom Ano Lectivo de 2009/2010!

Touradas da Nazaré em Cartaz: Um Percurso pelo Arquivo Histórico

Inauguração dia 8 de Setembro, 10h30
Salão do Teatro Chaby Pinheiro
Museu Dr. Joaquim Manso


A festa taurina na Nazaré remonta a tempos antigos e está associada ao culto de Nossa Senhora da Nazaré.
O Arquivo Histórico da Confraria de Nossa Senhora da Nazaré possui uma colecção de cartazes que documenta a tradição do toureio na Nazaré. Deste espólio e do Museu Dr. Joaquim Manso saem os exemplares reunidos na exposição “Touradas da Nazaré em Cartaz: Um Percurso pelo Arquivo Histórico”, integrada nas Festas de Nossa Senhora da Nazaré 2009.
Um convite para observar as transformações da sociedade portuguesa, em geral, e da festa brava, em particular, desde os tempos da Monarquia, passando pelo Estado Novo, até quase aos nossos dias, ao ritmo dos cartazes disponíveis nestas duas instituições, enriquecidos por empréstimos de objectos e fotografias de particulares e de outras instituições (Col. Joaquim Alves da Câmara Municipal das Caldas da Rainha).


Organização:
Museu Dr. Joaquim Manso
Arquivo Histórico da Confraria de Nossa Senhora da Nazaré

Museu esteve no programa “Verão Total”

O Museu Dr. Joaquim Manso foi convidado do programa da RTP “Verão Total”, na sessão que teve lugar na Praça Sousa Oliveira, na Nazaré, no dia 26 de Agosto.

A Directora do Museu representou a instituição, numa breve entrevista conduzida pelos apresentadores Tânia Ribas de Oliveira e Carlos Alberto Moniz.

“Verão Total” é um programa de entretenimento televisivo que percorre várias localidades portuguesas e que, na Nazaré, incluiu apontamentos musicais, entrevistas e reportagens sobre os vários aspectos do concelho.

Junto à praia, num soalheiro dia de Verão, esta foi mais uma oportunidade para divulgar o Museu Dr. Joaquim Manso e sugerir uma próxima visita, para ficar a conhecer mais sobre o património nazareno e a cultura do mar.

Siza Vieira apresentou projecto para novo edifício do Museu

O arquitecto Siza Vieira apresentou no dia 31 de Julho o seu projecto para o novo edifício do Museu Dr. Joaquim Manso, o seu primeiro para um museu do Instituto dos Museus e da Conservação (IMC).

A sessão decorreu na Biblioteca Municipal da Nazaré e contou com a presença da Secretária de Estado da Cultura, Paula Fernandes dos Santos, do Director do IMC, Manuel Bairrão Oleiro, e do Presidente da Câmara Municipal da Nazaré, Jorge Barroso.
O projecto de construção do novo edifício vai ser lançado a concurso durante o mês de Agosto e deverá ter início no primeiro trimestre de 2010, estando a sua conclusão prevista para 2012.

O novo edifício vai ser erguido no local das actuais instalações, no Sítio, e vai distribuir-se por quatro pisos, integrados na área envolvente. Passará a contemplar áreas de exposição permanente e temporária, reservas, oficinas de restauro e inventário, área de Serviço Educativo, gabinetes técnicos, biblioteca / centro de documentação, auditório, loja e cafetaria com terraço e vista sobre o mar. Será acompanhado por uma renovação do seu programa expositivo e oferecerá novas possibilidades em termos da dinâmica do Museu.

A requalificação do Museu Dr. Joaquim Manso integra-se num programa do IMC de renovação dos museus nacionais. Não deixando de prestar reconhecimento a Joaquim Manso e Amadeu Gaudêncio pelo seu acto benemérito de doação do edifício ao Estado para constituição de um Museu da Nazaré, o director do IMC considera que este projecto é “uma intervenção absolutamente necessária há muitos anos”, na medida em que as exigências museológicas são actualmente maiores e as actuais instalações não reúnem já condições para acolher as colecções nem oferecer conforto ao público.

No âmbito de uma parceria com o IMC, a Câmara Municipal da Nazaré assumiu os custos de elaboração do projecto, reconhecendo o seu presidente que o lançamento desta obra será mais um marco na história da Nazaré que, desde cedo, atraiu os artistas de diferentes áreas.

Arquitecto Siza Vieira apresenta projecto para o Museu

O projecto do novo edifício para o Museu Dr. Joaquim Manso será apresentado no dia 31 de Julho, pelas 18 horas, numa cerimónia que irá decorrer no auditório da Biblioteca Municipal da Nazaré.
A cerimónia contará com as presenças da Secretária de Estado da Cultura, do Director do Instituto dos Museus e da Conservação e do Presidente da Câmara Municipal da Nazaré.
O Arquitecto Siza Vieira fará uma explicação do seu projecto para um novo edifício do Museu, a construir no espaço ocupado pelas instalações actuais.

O Museu desce à Praia

Em Julho e Agosto, o Museu Dr. Joaquim Manso desce do Sítio à Praia, para estar junto de todas as crianças que se encontram a passar férias. Entre mergulhos no mar e brincadeiras na areia, à sombra do sol, o Museu propõe momentos de descoberta cultural.

Um mar de actividades lúdico-pedagógicas em torno do património da Nazaré, com incidência nos conteúdos do Museu Dr. Joaquim Manso: puzzles, jogos de diferenças, labirintos, sopas de letras, trajos de papel… São formas de “a brincar, aprender” a conhecer melhor a cultura local.

Local: Biblioteca de Praia, iniciativa dinamizada pela Câmara Municipal da Nazaré.
Colaboração: Câmara Municipal da Nazaré

Horário
23 e 29 de Julho: das 14h30 às 16h30
4 a 13 de Agosto: Terças-feiras, das 10 às 12 h e Quintas-feiras, das 14.30 às 16.30 h
Gratuito

Milagres da Geologia no Sítio da Nazaré

Neste Verão, “a Ciência vai consigo” de férias!

Muito antes do pressuposto milagre de D. Fuas Roupinho aconteceram, no Sítio da Nazaré, outros milagres… O Programa “Ciência Viva” convida-o a descobrir como nasceu o Promontório, como se formou a praia da Nazaré e toda a zona envolvente da Praia do Norte.

O ponto de encontro é o Largo da Nossa Senhora da Nazaré, junto à escadaria do Santuário da Nossa Senhora da Nazaré, no Sítio. Depois, tem início um percurso de 3 horas, pelo Miradouro, Farol, Praia Norte, Pedralva e Pederneira.

A partir da sua colecção de geologia e da exposição “Nazaré – um percurso da sua história”, o Museu Dr. Joaquim Manso é também um dos pontos de paragem, assim se inserindo nestes percursos de interesse geológico dinamizados pela geóloga Maria Laura Anastácio, da Câmara Municipal da Nazaré.

Coordenação de Mário Cachão / Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa – Centro de Geologia da Universidade de Lisboa, com o apoio da Câmara Municipal da Nazaré.


Público-alvo: público em geral
Data: 23, 30 de Julho, 13, 20 de Agosto (concentração às 9.30h)
Inscrições obrigatórias no site da Ciência Viva
Gratuito


Mais informações em http://www.cienciaviva.pt/

Sessão criativa com o Museu de Cerâmica








No dia 6 de Julho, o Museu deu início à sua actividade de Verão "Aprender com o barro", numa sessão com o Museu de Cerâmica, das Caldas da Rainha.
A sessão foi orientada pela oleira daquela instituição caldense, participando toda a equipa técnica do Museu Dr. Joaquim Manso, numa troca de experiências sobre o trabalho com o barro e as múltiplas possibilidades criativas da temática marítima e nazarena.
Esta iniciativa complementa igualmente o "Objecto do Mês" de Julho, dedicado ao Cântaro com asa, realizado na última olaria da Nazaré e cujo espólio foi parcialmente integrado no Museu Dr. Joaquim Manso, antes da sua destruição em 1980.

Há Verão no Museu











Actividades Educativas no Museu Dr. Joaquim Manso

“Como se veste a Nazaré”
Actividade infantil dedicada ao traje tradicional da Nazaré. Após visita temática ao Museu, recorrendo a miniaturas de peças de vestuário e a actividades de expressão plástica, os participantes podem ficar a saber mais sobre a estrutura deste tipo de traje e o seu enquadramento socio-económico, associando a descoberta de conhecimentos ao gosto lúdico pela moda e o vestuário.

Público-alvo: 6 aos 10 anos
Data: a partir de 23 Junho
Horário (duração): Terça-feira e Quinta-feira, 90 minutos
N.º de participantes: 25 (máximo)
Marcação prévia
Inscrição gratuita


“Aprender com o barro”
Através da utilização do barro, as crianças constroem a sua interpretação de elementos da cultura local constantes do percurso do Museu Dr. Joaquim Manso. Paralelamente, será explorada uma pequena exposição didáctica sobre o emprego do barro nas artes de pesca e sobre uma antiga olaria existente na Nazaré.


Actividade com a colaboração do Museu de Cerâmica, das Caldas da Rainha

Público-alvo: 6 aos 10 anos
Data: Julho de 2009
Horário (duração): Quarta-feira e Sexta-feira, 90 minutos
Nº de participantes: 25 (máximo)
Marcação prévia
Inscrição gratuita

Visitas de Verão para público sénior

(Re) Descobrir a Nazaré
Através de visitas guiadas e da partilha de saberes e memórias, o público pode (re) encontrar-se com a identidade cultural da Nazaré.

Público-alvo: público sénior
Data: Julho e Agosto de 2009
Horário (duração): Terça a Sexta-feira – 40 minutos
N.º de participantes: 25 (máximo)
Marcação prévia
Gratuito (mediante as características do grupo)

Exposição “Caixa da Memória” no Centro Cultural da Nazaré

Está patente no Centro Cultural da Nazaré, até 21 de Junho, a exposição intitulada “Caixa da Memória”, evocativa de todos “aqueles que andaram na pesca do Bacalhau”.
O Museu Dr. Joaquim Manso colabora com esta iniciativa organizada pela Câmara Municipal da Nazaré, através do empréstimo temporário de vários objectos da sua colecção, relacionados com esta actividade.
A Exposição “Caixa da Memória” é um memorial em forma de cubo, composto por centenas de rostos e nomes da pesca do bacalhau, entre 1935 e 1974. O projecto, do Museu de Marítimo de Ílhavo, resultou do restauro e digitação do espólio de cerca de vinte mil fotografias e fichas de tripulantes de navios bacalhoeiros.
A produção pretende ser um tributo aos homens que foram à pesca do bacalhau, com o objectivo de inscrever na memória colectiva os nomes e imagens dos protagonistas da “Faina Maior”.

Saiba mais sobre a exposição "Caixa da Memória".

Museu Dr. Joaquim Manso comemorou 33 anos

No sábado, dia 6 de Junho, completaram-se 33 anos sobre a inauguração oficial do Museu Dr. Joaquim Manso.

A ideia de organizar um museu dedicado à comunidade da Nazaré remonta pelo menos aos anos 1950, sendo a Liga dos Amigos da Nazaré um dos principais impulsionadores da sua formação, com a actuação de figuras como Abílio de Mattos e Silva. Ao longo dos anos vão-se tecendo considerações sobre a necessidade de registar uma existência que se pressentia já ameaçada, reivindicando-se o papel educativo de um futuro museu para as gerações vindouras, um museu que se pretendida constituído a partir da recolha etnográfica junto da comunidade local, enriquecido com escavações arqueológicas e colecções de arte sobre as vivências nazarenas.

O projecto foi sendo adiado em função de dificuldades logísticas, em parte resolvidas em 1968, quando o nazareno Amadeu Gaudêncio ofereceu a casa de veraneio que pertencera ao Dr. Joaquim Manso, para edifício do museu. Quando o Museu Etnográfico e Arqueológico do Dr. Joaquim Manso abriu portas em 1976, a sua colecção era de facto multifacetada, resultado de múltiplas doações da comunidade e representando o património cultural desta vila piscatória.

Passados 33 anos, o Museu assume a vontade de ser um espaço de representação e divulgação da cultura do mar, ultrapassando a sua missão local para uma perspectiva do litoral português na sua diversidade.


A tarde de sábado foi preenchida com a inauguração da exposição “Nazaré Mar, pesca e tradição” e a abertura da exposição “Património da Nazaré”, com trabalhos realizados por alunos do 9º ano do Externato D. Fuas Roupinho. Houve tempo para apresentar o novo blogue do Museu, para animação com Hip Hop, música e karaoke, acompanhada por um beberete simpaticamente realizado pelas alunas do 9º B daquela escola. E não pôde faltar o Bolo de Aniversário e os “Parabéns” ao Museu Dr. Joaquim Manso...

Professores da Escola Amadeu Gaudêncio “visitam” as origens da Nazaré

Por iniciativa do Departamento de Ciências Sociais e Humanas da Escola Básica 2,3 Amadeu Gaudêncio, da Nazaré, realizou-se a 3 de Junho de 2009 uma visita de estudo dirigida a professores daquele estabelecimento de ensino, sob o tema “Origens da Nazaré – Pederneira”.

Esta actividade motivou uma parceria entre instituições que, além da referida escola, poderiam abraçar o projecto – o Museu Dr. Joaquim Manso que, num âmbito mais abrangente, perspectiva a história e a cultura da região; a Confraria de N. Sra. da Nazaré, que tem a seu cargo parte do património religioso edificado na Pederneira; e a Câmara Municipal da Nazaré, através da sua técnica de Geologia.

Após a visita à exposição do Museu, “Nazaré – um percurso da sua História”, o grupo seguiu para o Casal Mota, local privilegiado para observação dos limites da desaparecida “Lagoa da Pederneira” e compreensão das transformações morfológicas, condicionantes da evolução histórico-económica das comunidades locais. Daí, e depois de passagem pelo antigo Caminho Real, o grupo dirigiu-se para a Pederneira onde, a partir da Praça Bastião Fernandes, obteve uma visão mais alargada do que terá sido umas das vilas mais ricas e prósperas dos antigos Coutos de Alcobaça.

Esta acção proporcionou um convívio inter-instituições e uma multidisciplinaridade de conhecimentos, que a todos beneficiou, estando em projecto uma visita mais extensa para recepção aos docentes no início do próximo ano lectivo.

Exposição "Nazaré - Mar, pesca e tradição"

O Museu Dr. Joaquim Manso comemora, no dia 6 de Junho, o seu 33º aniversário. Para assinalar a data, o Museu abre ao público a exposição intitulada “Nazaré Mar, pesca e tradição”, que documenta a realidade cultural da comunidade local, enquadrando-a num âmbito mais abrangente e característico do litoral português.

A construção naval, as embarcações, as várias artes de pesca artesanal e o traje tradicional são objecto desta exposição e mais um motivo para visitar o Museu e conhecer melhor este aspecto da cultura do mar.

A abertura ao público tem lugar às 15 horas do dia 6 de Junho.

Exposição "Património da Nazaré"

No dia 6 de Junho, pelas 15 horas, no âmbito da comemoração do 33º aniversário do Museu Dr. Joaquim Manso, decorrerá a inauguração da exposição "Património da Nazaré".
Esta exposição é realizada em parceria com o Externato D. Fuas Roupinho, da Nazaré, sendo constituída por trabalhos de Educação Visual de alunos do 9º ano, orientados pelo prof. Gil Ensinas, que estarão presentes para animar a tarde do aniversário do Museu com música e actividades diversas.

À conversa com antigos juízes do Círio de N. Sra. da Vitória

No dia 28 de Maio de 2009, em parceria com a Rádio Nazaré, o Museu Dr. Joaquim Manso esteve presente no programa “Memórias”, dedicado à partilha de lembranças sobre as antigas edições do Círio de Nossa Senhora da Vitória.

Durante uma hora e meia, foi possível registar as diferenças entre a romagem dos anos 1950-60 e a actualidade, no que se refere à sua organização e ritual e, sobretudo, à própria essência cultural e espiritual que a tem fundamentado ao longo dos séculos.

Responderam ao convite do Museu e da Rádio Nazaré o juiz de 1959 (completando 50 anos da sua participação no Círio), o casal de juízes de 1962 e uma juíza de 1994, esta última representado as gerações mais novas.

Esta iniciativa inseriu-se na animação da exposição temporária “Da Nazaré à Vitória. Uma romagem de festa e devoção”.

Parceria:
Rádio Nazaré. FM

Museu viveu em festa o Círio de N. Sra. da Vitória

No dia 21 de Maio de 2009, realizou-se o tradicional Círio de Nossa Senhora da Vitória, que como habitual mobilizou centenas de pessoas.

Esta romagem remonta ao século XVI, quando a decadência de Paredes, devido ao assoreamento, obrigou os seus habitantes a migrar para a Pederneira e Famalicão. Consigo trouxeram o culto de Nossa Senhora da Vitória e a sua invocação como protectora dos pescadores.

Seguindo o ritual, o Círio partiu da praia, em direcção ao Santuário de Nossa Senhora da Nazaré, onde se cumpriram as três voltas ao edifício e as Loas dos três Anjos, encaminhando-se, de seguida, para a Ermida de Paredes onde permaneceu até meio da tarde, fazendo o seu regresso ao Sítio e à praia.

A equipa do Museu esperou o Círio junto ao Santuário, acompanhada por centenas de romeiros e crianças. Estando o Museu Dr. Joaquim Manso localizado no Sítio, numa via de passagem do Círio, muitos dos acompanhantes e crianças das escolas aproveitaram para visitar a exposição “Da Nazaré à Vitória. Uma romagem de festa e devoção”, patente no Museu desde o dia 16 de Maio.

À tarde, a exposição foi ainda motivo de reportagem televisiva, num directo, no programa “Portugal no Coração”, da RTP 1.

O Museu viu assim realizado um dos seus objectivos na produção desta exposição temporária, que pretendeu envolver a comunidade local e informar as gerações actuais sobre uma manifestação de fé que, através dos séculos, vem mobilizando as gentes da Nazaré para uma experiência cumpridora de um rigoroso ritual, mas onde a devoção serve de pretexto para a festa e o convívio popular.


Exposição “Da Nazaré à Vitória. Uma romagem de festa e devoção"

Entre 16 de Maio e 3 de Junho, esteve patente ao público a exposição temporária “Da Nazaré à Vitória. Uma romagem de festa e devoção”, evocativa do ancestral Círio de Nossa Senhora da Vitória que, anualmente, na Quinta-Feira de Ascensão (este ano, a 21 de Maio), parte do Santuário de Nossa Senhora da Nazaré em direcção à pequena Capela de Nossa Senhora da Vitória, em Paredes.

Na Nazaré, a paisagem, a cultura do mar e as tradições religiosas fundem-se para gerar um palco único de dinamização turística. Esta exposição pretendeu informar o público sobre uma manifestação de fé que, através dos séculos, vem mobilizando as gentes locais para uma experiência cumpridora de um rigoroso ritual, onde a devoção serve de pretexto para a festa e o convívio popular. Simultaneamente, reflectiu sobre o seu impacto na vida local e nas dinâmicas da comunidade, sobre as alterações resultantes da sua actualização através dos anos.

Única que parte da Nazaré, esta é uma caminhada colectiva, organizada de juiz em juiz, para prestar o reconhecimento pela protecção sagrada aos “homens do mar”. O colorido dos trajes, a imponência dos cavalos, o ritmo da música, a genuinidade das loas, os acampamentos, os bailes e almoços no areal, transformam o Círio de Nossa Senhora da Vitória num dos maiores e mais pitorescos espectáculos da cultura nazarena.

A exposição baseou-se no levantamento documental, fotográfico e videográfico junto da população local e de participantes em antigas edições.

Colaboração:
Câmara Municipal da Nazaré, SPA vídeo – audiovisuais, Agrupamento de Escolas Amadeu Gaudêncio, Rancho Folclórico Tá-mar da Nazaré e todos os particulares que cederam fotografias e objectos para a exposição.

Dia Internacional dos Museus 2009

No Dia Internacional dos Museus, 18 de Maio, este ano numa segunda-feira, o Museu Dr. Joaquim Manso abriu excepcionalmente as suas portas a todos aqueles que desejaram visitar as suas colecções e a exposição temporária “Da Nazaré à Vitória. Uma romagem de festa e devoção”, descansar um pouco no seu Jardim ou tomar um café desfrutando a vista do mar e da praia.

Os mais novos puderam participar no jogo “Numa aventura vais mergulhar e o Museu vais explorar”, um Foto Peddy-Paper orientado pelos alunos do 1º e 2º Ano do Curso de Animação Cultural da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais, do IPL de Leiria.
A exposição temporária “Da Nazaré à Vitória. Uma romagem de festa e devoção”, as colecções do Museu e o Jardim Náutico foram o ponto de partida para um animado peddy-paper que envolveu cerca de 60 crianças da Escola do 1º Ciclo do Ensino Básico do Sítio. Estas percorreram os espaços emblemáticos do Sítio e realizaram jogos tradicionais, oficinas de origami e actividades fotográficas.
Enquanto o jogo decorria, alguma das fotografias tiradas iam sendo projectadas na Recepção do Museu. Em breve, os alunos do Curso de Animação Cultural do IPL irão entregar ao Museu e às turmas participantes um DVD com uma apresentação multimédia, incluindo as imagens e as filmagens realizadas durante a actividade.

No final da tarde, um pequeno lanche serviu de convívio para todAdicionar imagemos os que se associaram a mais uma edição do Dia Internacional dos Museus.




Parceria:
1º e 2º Ano do Curso de Animação Cultural da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais, do Instituto Politécnico de Leiria

Apoio:
Confraria de Nossa Senhora da Nazaré

Patrocínios:
Cafés Delta, GCT Grupo, Pastelaria Batel, Pastelaria Samsusy, Lda., Residencial Promontório e Zé Manel dos Bolos

Noite dos Museus 2009

O Museu Dr. Joaquim Manso comemorou a Noite dos Museus com a inauguração da exposição “Da Nazaré à Vitória. Uma romagem de festa e devoção”, evocativa do ancestral Círio de Nossa Senhora da Vitória que, na Quinta-Feira de Ascensão (este ano, a 21 de Maio), parte do Santuário de Nossa Senhora da Nazaré em direcção à pequena Capela de Nossa Senhora da Vitória, em Paredes.

A abertura contou com a presença dos Juízes e Anjos do Círio de 2009, tendo estes últimos assinalado os momentos iniciais e finais do evento com a declamação das tradicionais Loas.





Nem mesmo a chuva que se fez sentir alterou a programação marcada para o Jardim Náutico do Museu. Todos os visitantes rumaram então para o Teatro Chaby Pinheiro, cedido pela Confraria de Nossa Senhora da Nazaré. A noite foi animada com a actuação da Associação Filarmónica da Nazaré, que acompanhou o Círio de Nossa Senhora da Vitória no dia 21 de Maio, e exibição do grupo de Danças de Salão da Academia Municipal das Artes.

Paralelamente, decorreu uma Sessão de Astronomia, orientada pelo professor Máximo Ferreira, no âmbito do Ano Internacional da Astronomia, com a colaboração da Câmara Municipal da Nazaré.

Alunos do 1º Ano do Curso de Animação Cultural da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais, do Instituto Politécnico de Leiria animaram os presentes com algumas intervenções multimédia e coloridas, não obstante as más condições climatéricas.

No final da noite, foi tempo de regressar ao Jardim do Museu e brindar todos os presentes com um beberete simpaticamente oferecido por várias empresas locais e nacionais.




Colaboração:
Câmara Municipal da Nazaré, Prof. Máximo Ferreira, Associação Filarmónica da Nazaré, AmaNazaré, Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do Instituto Politécnico de Leiria, SPA vídeo – audiovisuais, Agrupamento de Escolas Amadeu Gaudêncio, Confraria de Nossa Senhora da Nazaré e Rancho Folclórico Tá-mar da Nazaré.

Patrocínios:
Cafés Delta, GCT Grupo, Pastelaria Batel, Pastelaria Samsusy, Lda., Residencial Promontório e Zé Manel dos Bolos.

Na Páscoa, jogou-se o tradicional jogo da Péla

“Na rua cheia de barcos, aquelas raparigas a jogar à péla, com seus gritos e saltos, espalhavam em volta uma alegria tão natural que já ninguém reparava.
Mas quando se calaram para em segredo escolherem outra vez parceiras – Queres o Sol ou queres a Lua? – um dos pescadores que estavam deitados na areia, ergueu a cabeça, ficando a olhar para elas (…)”

Branquinho da Fonseca, Mar Santo (1952)




No dia 7 de Abril, o Museu Dr. Joaquim Manso promoveu uma sessão do Jogo da Péla, com a participação da Universidade Sénior da Nazaré, elementos da população e funcionários do Museu.

Também designado por Jogo da Banca, este é um dos jogos populares desta vila piscatória, tradicionalmente praticado nas ruas durante a Páscoa. Ainda motiva os nazarenos, embora tenda a perder o carácter espontâneo de outrora, que mobilizava logo pela manhã os jovens para as ruas. Hoje, o próprio Município organiza este e outros jogos em eventos turísticos, junto à praia.

Duas equipas, separadas por uma caixa de sabão ou de peixe (Banca), têm com objectivo marcar pontos com uma bola de lona (Péla). À pergunta “Queres o Sol ou queres a Lua?” (ou outros pares), vão-se formando as equipas. Combina-se previamente o dinheiro da aposta e uma moeda atirada ao ar decide qual a equipa que joga em primeiro lugar e em cima, mais próximo da banca. Ganha a equipa que perfizer primeiro 31 pontos (tentos) e, tradicionalmente, o dinheiro reunido destinava-se à compra de amêndoas.

O Museu Dr. Joaquim Manso, associando-se às vivências locais, seleccionou a “Banca” como “Objecto do Mês” de Abril e dinamizou esta iniciativa mensal com a realização do jogo no Largo do Santuário de N. Sra. da Nazaré, depois de uma visita comentada à sua exposição. O resultado foi uma tarde de alegre convívio entre várias gerações, em que se tentou cumprir o desafio do museu como entidade educadora ao longo da vida, espaço de preservação de memórias locais, transportando-as para além da materialidade das suas paredes e colecções.










video